Regras e limites: 10 dicas para garantir o respeito dos filhos

Edução

Ninguém falou que ia ser fácil. Mas também ninguém comentou que seria tão difícil. Paciência, autoridade, persistência e determinação são apenas algumas virtudes que os pais precisam para educar e garantir o respeito dos filhos de forma responsável e segura.

Muitos pais têm dificuldade em impor limites, estabelecer regras e aplicar as consequências logo cedo, com as crianças ainda pequenas. Mas isso é fundamental para que elas se tornem adultos responsáveis e que primam pelo respeito. Ou seja, pode ser difícil, mas é um serviço que os pais estão oferecendo aosfilhos com resultado a médio e longo prazo. Confira algumas dicas para os papais que ainda estão na dúvida sobre qual é a melhor conduta a se tomar.

1 – Limites só para as crianças

Sempre tenha em mente que você estabeleceu uma regra para seu filho e isso não significa que você também terá que cumpri-la. Muitas crianças exigem que as regras sejam estendidas para os pais, que não devem aceitar esta condição.  Sim, os pais devem ser o exemplo e isso é fundamental para a fixação do aprendizado. Mas isso não significa que os pequenos também têm o direito de ditar regras.

2 – Cumpra com as consequências prometidas

Todos os pais sabem que, se prometeram, é fundamental cumprir. Ou seja, se você estabeleceu a regra e também a consequência se ela fosse quebrada, você deve colocá-la em prática sem hesitar. A criança passará a respeitar mais suas determinações ao perceber que você realmente tem a intenção de cumprir a pena prometida.

Dica: a punição não deve durar muito tempo ou ser permanente. Para aprender com essa lição, a criança deve estar ciente do motivo pelo qual foi punida. Se o castigo for por tempo indeterminado, chegará um momento em que ela não lembrará mais a razão de estar sendo punida e se sentirá injustiçada.

3 – A importância das regras

Não tenha medo de impor regras e limites para o seu filho desde pequeno. Acostumá-lo com este processo logo cedo vai fazer com que ele respeite você e suas ordens em todas as etapas de sua vida. Comece impondo regras relacionadas a horários e estabeleça uma rotina, fazendo tudo do mesmo jeito, todos os dias.

Dica: Mesmo os pequenos já compreendem o que você diz e as regras que impõe. Não subestime seu diálogo com seu filho.

4 – Sem repetições

Se você já estabeleceu a regra, explicou as consequências para seu filho e começou a colocar as determinações em prática, não há necessidade de repetir o combinado para ele a todo momento. Tome cuidado para não cansar a criança e estimulá-la a quebrar a regra para ver o que acontece, ou seja, conferir se você realmente cumprirá aquilo que tanto repete. Mostre que a palavra final é sua, mas não seja repetitiva.

5 – Existe uma idade-limite?

Uma dúvida comum entre os pais é até que idade é necessário estabelecer limites para seu filho. É importante entender que não há uma regra para o momento de deixar de ditar as determinações. Isso depende de uma série de fatores pessoais, que varia de família para família. Mas uma dica é manter a rotina de regras enquanto eles dependerem de você. Enquanto os filhos moram com os pais, é fundamental manter uma boa convivência, sem que eles, conforme forem crescendo, comecem a duvidar de sua autoridade, passando por cima do que foi estabelecido. E, para isso, é crucial manter os limites e, principalmente, as consequências. Ou seja, enquanto a casa é sua, as regras também devem ser.

6 – Esteja atento às suas regras

Fique atento às regras estabelecidas para que não seja pego de surpresa no momento de aplicá-las. Repense os limites para que eles façam sentido no momento em que for necessário conversar com a criança sobre eles. Tenha certeza que o cônjuge e outras pessoas responsáveis pela criação direta do pequeno estejam na mesma sintonia que você e que suas regras. É fundamental que a criança perceba que o que vale para um, vale para todos.

7 – Participação dos filhos

Para os pequenos, que ainda não têm o discernimento do que é certo e errado, é fundamental partir dos pais o estabelecimento dos limites. No entanto, com os adolescentes a história muda. Nesta idade, pode ser interessante que eles participem da definição das regras. Nesta etapa, eles já entendem quando estão fazendo alguma coisa certa ou errada e podem se sentir estimulados se forem incluídos nas decisões.

Dica: Cuidado com a liberdade. Deixe claro que é você quem dá a palavra final e determina a regra na sua casa.

8 – Não desista

Mantenha atitudes coerentes em relação às regras. Não desista no meio do caminho do que foi combinado, ou vai perder a credibilidade com as crianças. Garanta com que os limites impostos se adequem à vida cotidiana da família para que todos colaborem com o processo. Mantenha o pulso firme.

9 – As regras valem para todos

A regra que você estabeleceu para seus filhos vale também para os amigos que os visitam na sua casa. Assegure que a própria criança explique as regras para as outras pessoas e monitore para que os limites sejam cumpridos de forma harmônica.

10 – Regras fora de casa

Deixe claro para as crianças que as regras também valem para quando eles estão fora de casa. Se o combinado for descumprido durante um passeio ou na casa de outra pessoa, as consequências devem ser aplicadas assim que vocês chegarem em casa, impreterivelmente. Converse com avós, tios e padrinhos para que eles não permitam atitudes proibidas por você. Se isso acontecer, explique para a criança que foi uma exceção e que a regra continua valendo em casa e em outros lugares também.